Faculdade Anglo Americano | Caxias do Sul

Arquivo para novembro, 2011

Intervalo Atlântida – #EuSouMaisAnglo – Colégio Maria Araci

Anúncios


#Extensão


Marketing Digital, um conceito em formação ou deformação?


Tenho uma real preocupação com o Marketing Digital, pois muitas empresas que trabalham com esta disciplina não têm a mínima noção do que seja Marketing na sua essência. Existe aqui uma grande falha de conceito, prejudicando o próprio Marketing. Revisando diversos conceitos postos no mercado, e acessíveis nos sites destas organizações, nota-se que a grande maioria parte diretamente para as ações de comunicação, esquecendo que esta é o fim e não o início de um planejamento ou de estratégias mercadológicas.
Ocorre então uma simples conversão de “estratégias de comunicação” off-line para online. Estas são mais interativas, bonitinhas e cheias de efeitos, esquecendo a primeira preocupação que um “profissional” de marketing deve ter: criar valor de longo prazo para o cliente.
O Marketing Digital praticado no mercado nada mais é do que “Comunicação Digital”, que a meu ver é essencial para o engajamento dos clientes/consumidores, fidelização, divulgação e construção da marca, lançamentos de produtos, relacionamentos duradouros entre outros, tudo isso a um custo muito baixo. Aqui entra o que acredito ser o grande problema, baixo custo. Qualquer um acha-se apto a praticar ações de comunicação, independente de ter uma visão orientada para o mercado a qual deve levar em conta a preocupação com os objetivos empresariais, seus norteadores estratégicos, públicos envolvidos e os objetivos mercadológicos de longo prazo.
Marketing digital nada mais é do que uma ferramenta tática aplicada às estratégias de marketing. E pelo discurso dos “profissionais” encontrados no mercado (lê-se aqui, não todos os profissionais, claro), são ações de comunicação preocupadas em atingir um determinado público que está na internet e vai “curtir” a proposta da empresa, como se não fosse necessário uma mudança de cultura empresarial antes de se inserir no mundo digital.
Cuidado, estão voltando a reduzir o MKT para o conceito de comunicação.

Por Eduardo Pezzi
Coordenador do Curso de Marketing da Faculdade Anglo-Americano



Soberanas da Festa da Uva Visitam a Anglo

Com o objetivo de divulgar a Festa da Uva 2012 para os alunos e professores, a rainha Roberta Veber Toscan e suas princesas Aline Casagrande e Kelin Zanette, visitaram a Faculdade Anglo-Americano de Caxias do Sul. Na oportunidade, as soberanas puderam conhecer nossas instalações e interagir com os alunos que estava presentes. Abaixo, alguns registros da visita.


Não fique preso a data do vestibular

Final de ano chegando, hora de decorar a casa para o Natal e fazer a inscrição para o vestibular. E se, exatamente no dia da prova, o aluno tiver uma viagem marcada? E se o aluno ainda não estiver preparado?

Pensando nisso, a faculdade Anglo Americano de Caxias do Sul, possibilita que o aluno tenha várias opções de data para fazer a prova do vestibular. Para divulgar esse diferencial perante as outras instituições de ensino superior (mais de 10 em Caxias), foi criada uma abordagem surpreendente.

Durante 03 dias, um jovem circulou pela área central de Caxias e nas proximidades de algumas escolas preso a uma bola de presidiário, simbolizando sua prisão à data do vestibular.

As reações foram as mais diversas: curiosidade, espanto, risos e até solidariedade!

A ação foi criada e desenvolvida pela agência Tonificante Marketing Estimulante
(www.tonificante.com.br | @tonificante).


GESTÃO NA MARCA DA INSTITUIÇÃO DE ENSINO


Hoje, é difícil vislumbrar ações e/ou soluções criativas e diferenciadas que alguma outra instituição já não tenha praticado. Para que possamos conceber estratégias mais direcionadas, consistentes e perenes, se faz necessário o aprofundamento na compreensão dessa realidade mutante.

O enfoque de uma Instituição de Ensino não pode mais ser galgado ao seus produtos (cursos, produção acadêmica, metodologia), serviços (atendimento, secretaria, setor de bolsas) e sua infraestrutura (prédio, laboratórios, área de convivência). Hoje, não podemos vê-los como grandes diferencias, pois na sua totalidade todas instituições podem oferecê-las.

A estratégia da marca precisa ser consciente e coerente com o mercado de atuação. Criar a marca forte, com diferenciais significativos, que atinjam o objetivo e o emocional de quem vai fazer uso. O mundo se transforma e se copia. Para isso a Instituição de Ensino deve ter na retaguarda ações tangíveis que sustentem e suportem as grandes mudanças no mercado. Isso é o fortalecimento da marca.

Para gerirmos a nossa marca, é necessário ter uma definição clara dos valores de inovação da identidade da IES, ou seja, algum diferencial que seja exclusivo. A essência da marca de inovação, percebido e apreciado por todos os públicos.
Relevância, familiaridade, estima e diferenciação são pilares importantíssimos a serem desenvolvidos e sustentados.

A importância percebida pelos consumidores se trata de relevância. A afetuosidade que se tem com a marca é vista pelo consumidor como familiaridade e estima. A diferenciação vista pelo público se dá ao desejo do consumo.
A marca precisa gerar cumplicidade, parceria, empatia e afinidade. Dessa forma, se mantem a perenidade da marca.

A Instituição de Ensino tem de forma convicta que se todos os diferenciais ofertados forem de suma importância para seu público alvo, a IES obterá com o tempo a conquista da familiaridade e da estima. Essas etapas são atingidas com o tempo, mas suas conquistas oferecem valores diferenciados. A gestão eficaz da marca levará êxito como reputação, visibilidade e afinidade.

Professor Claudio Fico – Pró Reitor acadêmico do Grupo Educacional Anglo-Americano